Do mercado de ações para sua empresa

Porque palavras como Valuation, Dividendos, Direito Societário e a Venda de Ativos não operacionais não podem ficar mais de fora da vida do pequeno e médio empresário? Sabemos que a Bolsa de Valores ainda é distante da maioria das empresas nacionais, entretanto, conceitos, operações e práticas utilizadas pelas grandes empresas que lá negociam suas ações, podem e devem ser utilizadas e conhecidas por empresas de qualquer porte.

Neste sentido, nós da Sower Partners, apresentamos abaixo algumas destas práticas e conceitos para sua melhor compreensão:

Valuation:

Quanto vale seu negócio? Essa pergunta em algum momento irá intrigar o empresário, por menor que seja o seu negócio.

Para sabermos o valor de uma empresa com ações negociadas na Bolsa de Valores, basta olhar o valor de suas ações e multiplicar pelo número de ações emitidas. Sendo assim, entendemos que o valor de mercado é apenas o retrato de um momento, não necessariamente é o valor justo, que pode ser maior ou menor.

Mas e o valor de mercado de uma empresa sem ações negociadas em bolsa de valores? A análise fundamentalista responde esta questão, permitindo, por meio, do levantamento de todos os ativos e passivos da empresa e aplicando alguns conceitos e metodologias tais como; fluxo de caixa descontado ou a análise por múltiplos (Fv/Ebitda, P/VPA). A técnica empregada vai depender da sensibilidade do analista que definirá qual será o melhor instrumento a ser utilizado. Agora o pequeno empresário pode estar se perguntando: “mas para que preciso saber o valor da minha empresa”

São várias as razões e/ou circunstâncias que tornam necessário o conhecimento do valor de uma empresa ou negócio, como a saída de um sócio, a união com um concorrente, partilha familiar, a sucessão e venda do próprio negócio.

Dividendos:

A distribuição dos dividendos (lucros) nem sempre é benéfica para a empresa, como podem pensar ou fazem grande parte dos acionistas e empresários brasileiros. Em algumas situações, a distribuição dos dividendos em detrimento de investimentos em projetos e expansão, podem prejudicar o Valor da empresa no médio e longo prazo.

Um dos principais motivos disto, é que analistas de mercado e grandes empresas (compradoras), na maioria dos casos, entende que, se a empresa distribui os dividendos, significa que ela não possui projetos que trarão retorno atrativos para a empresa e negócio no futuro.

Direito societário:

Embora o pequeno empresário não tenha conhecimentos profundos sobre direito societário, ele precisa entender e/ou ter uma assessoria especializada logo na abertura da empresa para elaboração do contrato social.

A definição de quem controla uma empresa, a entrada de um novo sócio, uma fusão ou incorporação com um concorrente, todas estas ações ou definições envolvem conhecimentos que são específicos do direito societário e por este motivo, conhecer esses conceitos ou ter com quem buscar estas informações é muito importante para empresários, empreendedores e pessoas de negócio.

Venda de Ativos

Muito mais do que apenas a venda de um ativo, esta ação ou estratégia tem sido utilizada por grandes corporações em diversos segmentos e tem suas razões e motivos bem definidos. Este conceito ou estratégia compreende duas etapas básicas, a venda do ativo imobilizado da empresa para um terceiro e, em seguida, a locação do mesmo ativo pela empresa de quem o adquiriu.

Mas qual a vantagem para a empresa em vender seu ativo e passar a pagar um “aluguel” do mesmo? Apesar de serem várias as vantagens e depender da situação empresa no momento de decisão, vamos citar algumas para melhor entendimento:

Primeiro: a empresa recebe recursos de forma imediata e pode alocá-los em investimentos ou em redução de dívidas;

Segundo: o aluguel pode ser dedutível para cálculo do imposto de renda caso a empresa seja tributada pelo lucro real; reduzindo assim o valor do imposto a pagar;

Terceiro: o recurso advindo da venda do ativo imobilizado, certamente, terá um custo de captação inferior ao de um empréstimo bancário.

Pensando no adquirente (comprador) do ativo, o benefício é que ele receberá uma renda mensal com rentabilidade superior à da maioria dos investimentos financeiros tradicionais. Além disso, dependendo da situação econômica do país, se beneficiará da valorização do ativo.

Estes são apenas alguns exemplos de como trazer para o dia a dia das pequenas e médias empresas, conceitos e práticas amplamente utilizados por grandes corporações no Brasil e no Mundo.

 

Tiago Baggio – Diretor da SOWER PARTNERS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *